<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d13038237\x26blogName\x3dAb%C3%B3bada+Palatina\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://abobada-palatina.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://abobada-palatina.blogspot.com/\x26vt\x3d-8593313784831305974', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script> <iframe src="http://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID=13038237&amp;blogName=Ab%C3%B3bada+Palatina&amp;publishMode=PUBLISH_MODE_BLOGSPOT&amp;navbarType=BLUE&amp;layoutType=CLASSIC&amp;homepageUrl=http%3A%2F%2Fabobada-palatina.blogspot.com%2F&amp;searchRoot=http%3A%2F%2Fabobada-palatina.blogspot.com%2Fsearch" height="30px" width="100%" marginwidth="0" marginheight="0" scrolling="no" id="navbar-iframe" frameborder="0"></iframe> <div id="space-for-ie"></div>

Abóbada Palatina

Um blogue que se escreve com 'gue'. Um humor à altura. || Digam coisas e assim ||

domingo, junho 19

O estranho caso do arrastão que veio por arrasto

«Foi uma acção inconsequente»Até há bem pouco tempo (hoje, digamos), a imprensa portuguesa recorria a aspas, itálicos ou a um organograma de Manuela Moura Guedes sempre que se referia ao arrastão de 10 de Junho. Ao contrário dos jornais brasileiros, que usam ostensivamente esse conceito sem artifícios de estilo, aí estava um sinal mais do nosso subdesenvolvimento criminal. Acontece que uma edição recente d´A Capital vem esclarecer tudo. Afinal, utilizavam-se aspas porque o arrastão não passou de uma figura tridimensional obtida por registo, em chapa fotográfica, dos efeitos da sobreposição de duas ondas provenientes de uma mesma fonte luminosa: «um holograma», terá sintetizado o jornalista responsável pela descoberta, dando como exemplos do mesmo fenómeno o alerta de onda gigante que em 1999 deixou as praias do Algarve desertas e Pedro Santana Lopes. Aguarda-se agora que o Independente e a revista Maria retomem estes desenvolvimentos para concluírem em definitivo que tudo não passou de uma acção de campanha de Manuel Monteiro e da sua Nova Democracia para tornar Pamela Anderson nadadora-salvadora da praia de Carcavelos (ou, em alternativa, Margarida Rebelo Pinto como mastro de bandeira).

«Foi uma acção inconsequente»Até há bem pouco tempo (hoje, digamos), a imprensa portuguesa recorria a aspas, itálicos ou a um organograma de Manuela Moura Guedes sempre que se referia ao arrastão de 10 de Junho. Ao contrário dos jornais brasileiros, que usam ostensivamente esse conceito sem artifícios de estilo, aí estava um sinal mais do nosso subdesenvolvimento criminal. Acontece que uma edição recente d´A Capital vem esclarecer tudo. Afinal, utilizavam-se aspas porque o arrastão não passou de uma figura tridimensional obtida por registo, em chapa fotográfica, dos efeitos da sobreposição de duas ondas provenientes de uma mesma fonte luminosa: «um holograma», terá sintetizado o jornalista responsável pela descoberta, dando como exemplos do mesmo fenómeno o alerta de onda gigante que em 1999 deixou as praias do Algarve desertas e Pedro Santana Lopes. Aguarda-se agora que o Independente e a revista Maria retomem estes desenvolvimentos para concluírem em definitivo que tudo não passou de uma acção de campanha de Manuel Monteiro e da sua Nova Democracia para tornar Pamela Anderson nadadora-salvadora da praia de Carcavelos (ou, em alternativa, Margarida Rebelo Pinto como mastro de bandeira).


Didascálias [et al]

Um blogue tão cretino como qualquer outro. Um humor à altura. A blogar desde 20.Mai.05.


Santos da casa não fazem milagres

Esquerda, direita e pontos cardeais em geral
Da série marketing da Abóbada #1 #2 #3


Arquivos

Maio 2005  Junho 2005  Julho 2005  Agosto 2005  Setembro 2005  Outubro 2005  Novembro 2005  Dezembro 2005  Janeiro 2006  


At the bottom

Blogue Feed This page is powered by Blogger. Isn't yours?


Quem linka

[versão extensiva]